Usted está aquí

De Pernambuco para o Nordeste, do Brasil para o mundo

Encontro de lideranças feministas pernambucana dialoga sobre os rumos da ação feminista no Estado

Texto e Imagens: Déborah Guaraná

O movimento feminista brasileiro tem como desafio construir unidade política em um país com dimensões continentais. Pernambuco, estado do nordeste brasileiro, tem 98 mil quilômetros quadrados (o que representa mais da metade da dimensão territorial do Uruguai, por exemplo) e cerca de 9 milhões e meio de habitantes. Por conta dessa realidade, reunir os coletivos que compõem o movimento no Estado é sempre um grande desafio. 

Pensando, portanto, em fortalecer as guerreiras feministas do interior, a liderança do movimento realizou de 6 a 8 de abril um encontro ampliado da coordenação do Fórum de Mulheres de Pernambuco numa das cidades mais interioranas do Estado: Ouricuri, situada no Sertão do Araripe, distante 620 km da capital do Estado. 

O município enfrenta uma dura realidade de violência contra as mulheres, sem nenhuma delegacia especializada para o atendimento das vítimas. A militante Valéria Landina explica que, no município de Araripina, situada na região do Araripe, por exemplo, a população está vivendo uma violência avassaladora. "É arrastão, assalto, morte". Segundo ela, as mulheres são as que mais sofrem essa violência, pois, além dos episódios nas ruas, também sofremos com a violência doméstica, de índices altíssimos, mas sem nenhum registro pois não há delegacia especializada. Ela explica que antigamente o município tinha uma Secretaria da Mulher, mas que a mesma foi desmontada e transformada numa secretaria executiva. O pedido por uma Delegacia da Mulher existe há 14 anos. A demanda foi legalmente aprovado, mas a Delegacia nunca foi instalada". Hoje as mulheres de Araripina tem de percorrer mais de 60km até Ouricuri para poder denunciar os casos de violência.

As mulheres que fazem o movimento feminsita na região se organizam através do Fórum de Mulheres no Araripe. Uma das militantes do Fórum local, Tica de Nery conta que elas são em sua maioria camponesas e agricultoras, moram longe do perímetro urbano e não contam com nenhum apoio institucional, privado ou público, para chegar nas reuniões. Ainda assim, elas garantiram forte presença na encontro ampliado da coordenação estadual do Fórum.

Esse encontro das lideranças contou com 40 mulheres de diferentes regiões do Estado e teve como objetivo integrar as militantes que estiveram mais atuantes durante o ano, além de definir as estratégias de atuação estadual do Fórum de acordo com a avaliação, perspectivas e desafios apontados durante as reuniões. Estiveram presentes mulheres da região Metropolitana, que inclui a capital do Estado, militantes da Zona da Mata, Agreste, Sertão do Pajeú e Sertão do Araripe.