14EFLAC: Democracia, Estado laico e fundamentalismo

O debate se deu em torno da pergunta proposta “Como construímos Estados não patriarcais e fortalecemos a democracia paritária na América Latina e Caribe? No atual contexto em que vivemos, a proposta do estado laico está em disputa, os golpes começados em Honduras, seguidos por Paraguai e Brasil, e os seguintes retrocessos na Colômbia, Equador, Argentina e outros provocam revisões de estratégias antigas, elaboração e pactuação de novas estratégias para resistir.

14EFLAC: Os nomes do feminismo

A discussão da Assembleia intitulada “Os nomes do feminismo” foi aberta pela brasileira militante da Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB) Betânia Ávila demarcando o feminismo como um movimento em movimento permanente, cujas divergências internas não se dão apenas a partir das diversidades mas também das desigualdades entre mulheres. Um movimento no qual não há um centro de decisão, mas que depende de articulação de seus vários segmentos para construir ações comuns de confronto com as contradições que o cercam e no seu interior.

14EFLAC: Autonomia e Poder: dilemas e desafios

O debate abordou os desafios da busca por paridade e as pautas relacionadas à autonomia das mulheres nos espaços representação política institucional. Foram ressaltadas as diferenças na luta por autonomia centrada numa perspectiva crítica da luta feminista que demanda direitos em diálogo com as instituições, o estado e as políticas públicas, daquela que se pauta numa luta mais autonomista do movimento. 

14EFLAC: Mais que diversas, desiguais

Os feminismos da América Latina tem contribuído para alargar o sentido da democracia, criticando radicalmente o discurso liberal e midiático que coloca todas as mulheres em pé de igualdade, caracterizando as feministas como sujeitas empoderadas num mundo onde basta empreender para ganhar espaço, poder e voz.

Revista La Cuerda

Guatemala, diciembre 2017-enero 2018.- Servicios de seguridad privada en Guatemala, Erradicar la violencia (una acción política y estratégica), Ejemplo de lucha del pueblo q’eqchi’ , La memoria, una brújula en la lucha anticorrupción, Desapariciones traen consigo violencias institucionales y más. Ver toda la revista, pdf.

Pronunciamiento en solidaridad con el pueblo hondureño

Pronunciamiento de la Mesa de articulación de plataformas nacionales de ONG y redes regionales, de la cual forma parte la Articulación Feminista Marcosur, en solidaridad con el pueblo hondureño.